Visitantes Online:  4

Home Page  
 
 
 
     
  « Voltar  
 

 

 
 
SEGUNDA TRADIÇÃO 13/02/2017 - 22:14
SEGUNDA TRADIÇÃO
“Somente uma autoridade preside, em última análise, ao nosso propósito comum – um Deus amantíssimo que Se manifesta em nossa consciência coletiva. Nossos líderes são apenas servidores de confiança; não têm poderes para governar.”

Essa manifestação Divina só ocorrerá se houver uma consciência coletiva esclarecida, e não haverá como ser esclarecida essa consciência sem uma boa recuperação de seus membros, porque uma fraca recuperação obscurece a capacidade de discernimento e análise, pela ausência da clareza e independência nos julgamentos. Tendo por base uma boa recuperação, o que permite e exige um estudo acurado dos Três Legados de A.A., e com a participação de muitos companheiros e companheiras, certamente teremos nas decisões desse grupamento humano uma manifestação da vontade Divina.

Sozinhos não nos manteremos sóbrios, ao nos juntarmos dois membros para formar um grupo começamos a criar uma Consciência Coletiva que irá se estendendo a mais membros à medida que mais membros forem se integrando ao grupo. Essa Consciência Coletiva torna-se necessária e aceita, porque é o único meio de manter o grupo unido e em Unidade, unido é estar juntos e Unidade e ter o mesmo norte, interesses e linha de entendimento, isto conservará vivos seus membros, sendo esta portanto uma necessidade para os mesmos.

Mesmo nos casos em que a Consciência Coletiva não esteja suficientemente esclarecida, sua decisão sempre será melhor para a unidade do grupo, do que as decisões de pessoas ou pequenos grupos, minorias etc., que terão direito a expressar-se, mas sempre a maioria decidirá, pelo processo que essa mesma maioria decidir. É bom observar os critérios da garantia quatro. (O máximo tempo possível de esclarecimentos, e a busca da maioria por um consenso) Líder é aquele que brota da vontade coletiva pelo seu exemplo, conhecimento, maneira bondosa, clara e firme com que coloca os princípios, e por isso é seguido pela maioria; ele não surge da vontade própria, nem de conchavos. A espiritualidade em A.A. é a essência de tudo, ela nos conduz na recuperação e nos faz unidos pela observação das Tradições.

O importante, é que a boa liderança não manda, não determina, mas é seguida e obedecida em suas solicitações com boa vontade.
Em A.A. sempre há um sábio paradoxo, os líderes não mandam, não se impõem, eles servem e são obedecidos, eles não exercem autoridade, mas esta lhes é delegada, e muitas vezes precisam dela se utilizar, sem se caracterizar atitude autoritária, e isto é aceito. Na maioria das vezes os líderes não ocupam os encargos, sendo que servidor não é sinônimo de liderança.
Abraços fraternos, paz, luz e mais 24 h sóbrias.
Arco/RS



CONSCIÊNCIA COLETIVA - ORIGEM MILENAR

Os eventos e experiências são oportunidades, coisas que acontecem. O que pensamos e fazemos a seu respeito é que lhe dão significado. Os eventos e as experiências são oportunidades trazidas por nós, criadas por nós individual ou coletivamente, através da consciência. A consciência cria a experiência.

No decorrer da vida, outros seres parceiros da jornada humana universal se unem a nós, como breves encontros, como parcerias temporárias, como parcerias duradouras, ou como pessoas queridas no caminho da vida. Ninguém vem a nós acidentalmente, nada ocorre por acaso. Os eventos e as pessoas são trazidos a nós, por nós para nossos próprios objetivos. As experiências humanas e os acontecimentos são resultado da experiência de grupo. São trazidos para o nosso grupo de pessoas como um todo, como o resultado das nossas escolhas e dos nossos desejos, sejam estes conscientes ou inconscientes.

A consciência de grupo é algo que não é totalmente compreendido. Contudo é muito poderosa e se não se tomar cuidado, supera a consciência individual, que pode seguir a do grupo, mas que deve continuar com seu próprio entendimento. Se você está em um grupo cuja consciência não reflete a sua, e neste momento é incapaz de mudá-la efetivamente, é melhor deixar o grupo, ou ele o conduzira onde ele deseja ir, não importa onde você deseja ir.

Se você não pode encontrar um grupo cuja consciência combina com a sua, seja a origem de um. Outros de consciência parecida serão trazidos para você. Os indivíduos e os grupos menores afetam os grupos maiores, e o grupo maior de todos, que é TODA a humanidade. A consciência do Mundo é um reflexo da consciência total e combinada de todos que nele vivem. A consciência de grupo traz um conceito como o bem coletivo, uma visão geral de um só mundo, ou um Deus que existe em harmonia com toda a criação, em vez de separado dela.

Os eventos que ocorrem regularmente em nosso planeta há 3 mil anos são um reflexo da Consciência Coletiva de “um grupo”, e afeta todo o nosso planeta. Pessoas maldosas não poderiam ter feito coisa alguma sem a cooperação o apoio e a submissão voluntária de milhões de pessoas. Um subgrupo é sempre responsável por grande parte da consciência do todo, e esse grande todo muitas vezes peca pela omissão por permanecer indiferente à ação do subgrupo ou subgrupos.

É sempre a consciência coletiva que fornece um solo fértil para o crescimento de movimentos quer sejam de destruição quer sejam de regeneração na humanidade.
Uma consciência de grupo que fala sempre em separação por considerar superioridade em seus membros, produz perda de compaixão em grande escala, e a perda de compaixão é inevitavelmente seguida da perda de consciência.

Um conceito coletivo, com raízes na ideia de um rígido conhecimento superior aos demais do grupo, despreza os demais e acaba tornando-os também responsáveis pelas suas próprias atitudes, que assim passam a ser aceitas, tentando justificar até a belicosidade.

O horror da experiência negativa perpetrada nos grupamentos humanos, não seria possível sem o consentimento desta. O surpreendente não é apenas ter surgido o líder negativo, mas também o fato de muitos outros o terem seguido. Ao longo da história muitos mestres mostraram o que há de mais nobre e desprezível no potencial humano. Eles apresentaram exemplos de até onde é possível ir com a experiência de acordo com nossas consciências.

A consciência de grupo é poderosa e produz resultados de beleza ou feiura indescritíveis. A escolha é sempre de cada um de nós que formamos a consciência de grupo, e da influência que recebemos dos grandes grupos a que pertencemos. Se você não está satisfeito com a consciência de seu grupo, tente mudá-la. O melhor modo de mudá-la é por meio do seu exemplo. Se o seu exemplo não for suficiente, forme o seu próprio grupo, seja a origem da consciência que deseja que os outros experimentem. ( A.A. também fala sobre isto).

Quer que o mundo mude? Mude as coisas em seu próprio mundo. A Consciência de Irmandade, da união, da Unidade, do “nosso” em vês de meu e seu é o que cria a experiência Divina. Precisamos estar alertas, porque pessoas de consciência elevada e pouco desenvolvida sempre andam entre nós, e tentam introjetar suas ideias, portanto nós de A.A. também sofremos influência de subgrupos e grupos maiores e de fora de A.A.

Tudo que Deus permite, faz parte de sua vontade, portanto a expressão de uma Consciência Coletiva de Grupo, considerando o livre arbítrio que o Deus da nossa compreensão nos dá, sempre é de sua vontade que possa ser assim, pois em caso contrario Ele impediria que o fosse. São apenas considerações de um espectro mais amplo de Consciência Coletiva de Grupo, que Alcoólicos Anônimos tendo por experiência seus Doze Passos de Recuperação, usa como expressão de sua Consciência Coletiva de Grupo, na qual se manifesta a vontade Divina.

Prezados irmãos e irmãs de doença, este breve comentário despretensioso, apenas nos mostra que também o uso do Sistema de Expressão da Consciência Coletiva que A.A. adotou, tem origem na sabedoria milenar da humanidade. Prezados amigos e amigas, não coloco este assunto para discutir, e sim apenas para reflexão individual.

Abraços fraternos, muita paz, luz e mais 24 sóbrias.
Arco/RS.