Visitantes Online:  4

Home Page  
 
 
 
     
  « Voltar  
 

 

 
 
COMO CONVENCER GRUPOS E MEMBROS DE A. A. PARA QUE CONTRIBUAM 10/10/2016 - 18:29
Como convencer grupos e membros de A. A. para que contribuam e para que os países participem da REDELA

Como convencer grupos e membros de A. A. para que contribuam e para que os países participem da REDELA
Carlos V. P. – Panamá

O Principal propósito da Reunião das Américas – REDELA é o mesmo de toda atividade de Alcoólicos Anônimos: levar a mensagem de recuperação ao alcoólico que ainda sofre; buscar formas e meios para levar a cabo esta meta, e a de servir como um fórum para compartilhar experiências, forças e esperanças dos delegados que também representam uma consciência de grupo em algum país da América.

Este foro regional motiva a implementação de estruturas de serviços gerais claras e a exploração de possibilidades para expandir os serviços de Alcoólicos Anônimos, com o fim de alcançar o alcoólico. A experiência tem nos ensinado que o desenvolvimento de uma
estrutura firme nos ajuda a fazer nosso serviço de maneira mais efetiva.
Devemos continuar trabalhando junto no sentido de alcançar todos esses objetivos, da forma como vimos conduzindo todos esses anos. Devemos ter como base os 36 princípios e termos em mente que a função de A. A., sua meta final, é ajudar outros em busca de recuperação.
Sejamos testemunhas hoje, demos testemunho nesta reunião, de uma mensagem de êxito renovado, que se há experimentado nas REDELAS anteriores. Participemos plenamente convencidos de que, além de participar e praticar a unidade, é uma das maneiras de informar-se a capacitar-se para gerar outras formas de servir.

Neste tema destinado ao Panamá “Como convencer grupos e membros de A. A. para que contribuam e para que os países participem da REDELA.” Apresentamos diferentes aspectos a considerar e recomendamos a praticar.
Em um local onde em parte da irmandade impera o desinteresse ou o desconhecimento dos próprios princípios como a nossa, é um pouco difícil se convencer para que os companheiros colaborem com dinheiro para um evento que é desconhecido pela grande maioria dos “recuperados”, e em consequência com uma minoria que serve na estrutura de serviço de A. A..

Pois bem, conhecendo um pouco da idiossincrasia (traços característicos da personalidade e do comportamento de uma pessoa no grupo), quase de maneira geral, de nossa irmandade, que não conhece de perto o que faz Alcoólicos Anônimos para funcionar, penso que devemos analisar em nosso interior como pessoas e como grupo, de modo muito profundo, a fim de compreender por que pessoas que antes “gastavam” significativas quantidade de dinheiro com remédios para doenças, e agora que levam uma vida muito diferente, se tornam mesquinhos, avaros para com o programa que dá vida.

Temos companheiros com um lar bem estruturado, talvez com um bom emprego, com saúde, e se vestindo bem, com uma vida de qualidade e com uma boa perspectiva de futuro. Por que essas pessoas não contribuem como deveriam?
É provável que ele e seu grupo não sejam os culpados pela difícil situação financeira que atravessam tanto seu grupo como a estrutura de serviço de A. A., e em especial, neste caso, a da REDELA. É bem provável que a pouca ou nenhuma publicidade que se dá sobre os benefícios desta REDELA seja a explicação para o desconhecimento dos nossos companheiros.

Em boa parte dos países da América Latina não se informa quase nada sobre o que significa a REDELA, sobre os temas de importância para o crescimento de A. A. que se discutem na mesma, e dos benefícios que nossa irmandade recebe com a participação nessa
reunião de vários dias. E finalmente, devido à pouca quantidade de dinheiro arrecadado por cada Junta de Serviços Gerais, se torna difícil difundir a REDELA da maneira como deveria.

Diante de tal situação, é digno se considerar os seguintes pontos, para que os grupos e membros de forma individual ajudem a junta de Serviços Gerais, para que possam enviar 01 e se possível, dois representantes à REDELA:
1 – Criar um plano nacional informativo sobre este importante evento, utilizando os canais de que dispomos, os boletins informativos, manter correspondência com os organismos de serviço – comitês de distrito, comitês de área e CSG. Não se esquecer do RSG e dos Comitês de Serviço, pois eles são os melhores canais de comunicação interna.
2 – Compromisso de informar a cada organismo de serviço existente em cada país, uma vez concluída esta REDELA, os assuntos tratados na mesma.
3 – Utilizar os delegados de cada Área para que divulguem as informações da REDELA.
4 – Divulgar o orçamento com a s despesas de cada país para enviar seus delegados à REDELA.
5 – Informar qual a participação que seu país terá na REDELA. Falar dos benefícios que obtiveram em nível de continente ou de país ao participar nessa reunião, como zona geográfica e preparatória para a Reunião de Serviço Mundial.
6 – Elaborar um cartaz de divulgação da REDELA, como endereço do Escritório de Serviços Locais, com o numero do telefone e e-mail. Indicar a conta do Banco para que os companheiros façam as contribuições.
7 – Criar pelo menos dois foros informativos, quando a data da REDELA estiver próxima, com os membros de A. A. das regiões, zonas, áreas e comitês.
8 – Utilizar os Comitês de Assessoramento da Junta, para que eles também informem através de suas atividades anuais sobre a importância da REDELA e o custo necessário para que os dois delegados do país participem dessa importante reunião.

Em Alcoólicos Anônimos todos nós trabalhamos juntos!
Todos os setores de nossa Irmandade, as reuniões de grupos, os comitês, o ESL, as reuniões de serviço e as atribuições do grupo têm um propósito em comum: ajudar o recém chegado que tem um problema a bebida.

Para que a Irmandade de A. A. possa dirigir-se a si mesma, ou seja, comunicar-se consigo mesma, é necessário que haja um sistema de informação para que todos nós tomemos conhecimento do parecer de A. A. em sua totalidade com relação aos assuntos mundiais e de como deseja funcionar.

Necessitamos de uma comunicação constante e franca entre todos os organismos de serviço de A. A., que nos facilite uma ampla amostra da experiência de nossa Irmandade, isto torna possível os eventos de A. A. (CSG, Assembleias de Área, Seminários, Convenções, a REDELA e a Reunião de Serviço Mundial).

Você e eu talvez não tenhamos necessidade da REDELA para assegurar nossa própria sobriedade, mas e os milhões de doentes alcoólicos que ainda estão vagando pela escuridão? Quando eles chegarem em nossos grupos, queremos que cada um receba a mesma ajuda carinhosa que nós tivemos. A REDELA e todo os organismos de serviço têm essa responsabilidade: manter-se viva e preparada para aqueles que estão por vir.
Um forte abraço e muita sorte na missão de A. A.

FONTE: Relatório Anual de Alcoólicos Anônimos do Brasil – XVII REDELA – REUNIÃO DAS AMÉRICAS – Cidade de Rye – New York – EUA – 21 a 25 de outubro de 2012 – XXXVII CONFERÊNCIA DE SERVIÇOS GERAIS – SERRA NEGRA/SP 2013 – PÁG. 193 - 194